| Por Maria Pires

Liquid Pavilion

Camuflado na natureza

Fotografia

Fotografia

Fotografia

1 de 3

Na sequência da colaboração entre a Fundação Bienal de São Paulo e o Museu de Arte Contemporânea de Serralves, foram encomendados cinco pavilhões a ateliers de jovens arquitetos, para apresentar obras de arte contemporânea. O Liquid Pavilion [Pavilhão do Lago], da autoria do atelier depA Architects, usa tanto o edifício do Museu como o Parque de Serralves como matéria-prima do projeto, embora com escalas de relação, com um e com outro, diferenciadas. Num primeiro momento, o desenho do pavilhão estabelece uma relação indireta com o edifício do Museu, uma vez que a planta do pavilhão é um polígono extraído da planta do Museu. Num segundo momento, o polígono extraído, uma vez implantado no Parque, transforma-se em algo novo e descola-se da sua origem. A água do lago sobre a qual o pavilhão se implanta oferece o princípio: vidro escuro que espelha tanto a água e os seus reflexos como a paisagem envolvente de densa folhagem.

www.depa.pt

Fotografias: José Campos