| Por Maria Cruz

Entrudo

Inspiração transmontana

Fotografia

Fotografia

Fotografia

Fotografia

Fotografia

Fotografia

Fotografia

1 de 3

Entrudo surge da ideia de Maria e sua mãe. É uma marca recente no mercado. Ambas pensaram no conceito em janeiro do ano passado. Em maio, lançaram a primeira coleção primavera/verão. Têm sonhos. Muitos. Um deles é a internacionalização da marca. Mãe e filha, uma dupla unida. A mãe, Susana Ribeiro, tirou o curso de estilismo, mas não trabalha na área; Maria Duarte trata da parte da publicidade e dá ideias para os modelos; e o pai, Jorge, tem um gabinete de modelação de calçado e é ele quem as ajuda com a confeção dos sapatos, sendo todos fabricados em Felgueiras. A primeira coleção foi inspirada nos Caretos e no Carnaval de Trás-os-Montes. Tão português! Ambas gostam imenso do Carnaval. E, com as cores coloridas, criaram uma coletânea diferente. Depois, lançaram a coleção outono/inverno. E outras mais virão!

Todos os sapatos são de pele, com aplicações de ráfia natural; chocalhos e franjas; pelo e lã (na coleção mais quente). Sempre aplicados manualmente. As coleções não têm nome, mas sabemos que são inspiradas numa tradição transmontana. Mãe e filha ousaram arriscar na produção de calçado made in Portugal. Não morassem elas na terra tão conhecida do calçado – Felgueiras. Arriscaram. E cá estão elas no mercado há um ano. De ambas as coleções já lançadas existem oito modelos, distintos pelos materiais diferentes que usam em cada um deles, mas interligados porque seguem a mesma linha de design.

Maria está prestes a terminar o curso de Neurofisiologia, no Porto, e esteve até ao último Natal na Finlândia a fazer um estágio no hospital de Turku. A sua mãe tirou o curso de estilismo no CITEM, no Porto, trabalhou na área, mas há cerca de dez anos optou por abrir uma loja de consumíveis informáticos, que, até hoje, gere. E, hoje, é ela quem desenha os modelos. Juntas, quiseram criar uma marca de calçado português que se diferenciasse. Com materiais portugueses e inspirados no país. O nome Entrudo vem daí, da tradição portuguesa dos Caretos de Trás-os-Montes. No futuro, querem colocar as suas coleções em vários espaços físicos, em Portugal e, claro, internacionalizar a marca. Sempre com qualidade e tradição. Atualmente os produtos estão disponíveis para venda apenas através do facebook e os valores de um par de sapatos rondam os 130€. É de salientar que o tempo de produção de um par varia consoante o tipo de produto aplicado, por exemplo: as Lalim, com as suas flores aplicadas, demoram 3 horas a ser produzidas; as Donai, assim como as Salsa, demoram 2 horas a concluir; e os Careto, que são pintados à mão como a máscara de um careto, também necessitam de muito tempo.

Mãe e filha passam menos tempo juntas durante a semana, contudo, e porque a distância nunca foi, nem vai ser, impedimento, têm sempre muitas coisas a fazer em conjunto, como ler livros, que motivam a troca de opiniões; treinar, para atingir o objetivo da corrida dos 10 Km; partilham o gosto pela decoração (a mãe gosta de ler revistas de decoração). Maria gosta de cozinhar, viajar, e, para além disso, faz voluntariado, todas as semanas, no CASA (apoio a sem abrigo) e numa associação que apoia idosos sinalizados que vivem sozinhos. Juntas criaram uma marca, juntas conduzirão a bom porto a marca Entrudo. Esse é o desejo.