| Por Andreia Filipa Ferreira

COS

"Acreditamos que a estética deve ser intemporal e apreciar a modernidade"

Fotografia

Fotografia

Fotografia

Fotografia

Fotografia

1 de 3

Nascida em 2007, pela alçada da gigante sueca H&M, a COS oferece uma gama de produtos de diferentes conceitos, desde fashion essentials a clássicos reinventados e tendências modernas para ambos os sexos. Com uma equipa multifacetada e internacional, de onde destacamos a diretora criativa Karin Gustafsson e o head designer da coleção masculina Martin Andersson, a COS é reconhecida pela sua ligação íntima ao mundo do design e da arquitetura, numa procura por inspiração que resulte em produtos de qualidade, intemporais e modernos. Com um ADN muito marcante, a marca alia-se a designers de renome para definir as suas tendências. Neste outono/inverno, por exemplo, a paleta de cores intensas que pintam as golas muito altas e as mangas alongadas da coleção feminina foi influenciada pelo projeto 100 chairs in 100 days do italiano Martino Gamper.

Karin Gustafsson e Martin Andersson

Diríamos que a COS é uma marca de lifestyle, uma vez que tudo gira em torno da atitude. Qual é a essência da marca?

O conceito da COS centra-se no ato de acreditarmos que a estética deve ser intemporal e apreciar a modernidade.

 

A COS não costuma fazer publicidade tradicional ou até desfiles. Preferem organizar diversas parcerias com artistas e marcar presença em galerias e exposições de design. O que está por detrás da vossa estratégia de comunicação?

Gostamos de ter outro tipo de comunicação com o nosso cliente. Por exemplo, trabalhamos em conjunto com diferentes artistas e arquitetos, o que é uma fantástica oportunidade para nós conhecermos os nossos clientes. Estamos muito entusiasmados com as colaborações que temos vindo a fazer, conhecendo pessoas de diferentes áreas. Tem sido uma jornada incrível! Sentimo-nos privilegiados por ter esta oportunidade.

 

Não se sentem preocupados por estarem mais chegados ao universo do design, colocando de parte o mundo mainstream da moda?

Não necessariamente. Geralmente, sentimos que o nosso cliente partilha connosco esse mesmo interesse. Portanto, nós assemelhamo-nos aos nossos clientes, assim como eles se assemelham a nós.

 

O estilo minimalista da COS, frequentemente descrito como “intemporal e high fashion” é, ao mesmo tempo, reconhecido pelo seu preço acessível. Isso faz parte da vossa filosofia?

Acreditamos que todos devem ter acesso a produtos de boa qualidade, e obter essa boa qualidade, para nós, significa trabalhar afincadamente para conseguir alcançar algo muito, muito bom.

 

Pretendem tornar-se numa alternativa às marcas de luxo?

Nós queremos que os nossos produtos sejam duráveis, mas também não nos esquecemos de manter o foco no design e na estética. Competimos connosco mesmos, tentamos desafiar-nos a nós próprios em cada estação, tentando fazer melhor. Focamo-nos em nós próprios, em vez de competirmos com os outros.

Nós somos uma grande equipa, muito internacional. Todos temos diferentes backgrounds e isso é fantástico em termos de inspiração. Mas a nossa equipa tem também algo em comum: todos admiramos a era moderna do design e da arquitetura, de meados do século, e isso é algo importante independentemente do sítio de onde viemos. Nós gostamos da mesma estética de um modo muito uniforme.

 

Fazer parte da gigante sueca H&M representa um benefício ou um obstáculo?

Tem sido um benefício desde o início porque nós apenas começámos há quase dez anos e a H&M tem imensa experiência em termos de produção. Tivemos a oportunidade de nos focarmos na criatividade e isso, obviamente, tem sido muito bom.

 

A COS é uma marca global. Como é que conseguem criar uma moda global e, ao mesmo tempo, levar em consideração as diversidades locais?

Nós somos muito afortunados porque fazemos diferentes coleções em diferentes contextos e os consumidores gostam efetivamente delas. Mas acreditamos que o nosso cliente não sobrevaloriza a nacionalidade ou até a idade, preocupa-se mais com a partilha de mentalidades e interesses. Pensamos que essa mentalidade e interesse existe globalmente. Estamos a falar de pessoas interessadas em arte, arquitetura, design, boa qualidade. São culturalmente conscientes.

 

Acha que existe um target específico para a COS?

A COS é para alguém que aprecia qualidade, escolha e estilo antes de escolher a moda.